DIFERENÇA ENTRE OUVIDO ABSOLUTO E OUVIDO RELATIVO

O sentido da audição é uma das principais características que diferenciam um músico de uma pessoa comum. Naturalmente mais aguçado em músicos, o ouvido pode ser treinado de modo a permitir uma maior facilidade na criação, reprodução e análise musical. Contudo, em relação a essa característica dos músicos, muito se ouve falar a respeito do “ouvido absoluto” e do “ouvido relativo”. Mas, você sabe qual a diferença? Confira!

Existe muita discussão sobre a questão de ouvido absoluto e ouvido relativo. E na realidade, estes termos se referem ao tipo de processamento mental utilizado para a identificação de alturas musicais.

O ouvido absoluto, por exemplo, é uma capacidade rara mesmo entre músicos. Uma em cada 10 mil pessoas tem ouvido absoluto, mas os especialistas não sabem explicar ao certo por que essa habilidade ocorre. Por outro lado, para desenvolver o ouvido relativo é preciso bastante treinamento para aguçar os ouvidos. Por isso, entenda agora qual a diferença entre ouvido absoluto e ouvido relativo.

OUVIDO ABSOLUTO

Uma pessoa com ouvido absoluto percebe alturas diretamente através do reconhecimento da frequência do som escutado, permitindo criar ou reproduzir notas sem que haja qualquer referência às mesmas. É como se “ouvisse mentalmente” cada uma das notas e escalas, e conseguisse dar nome a cada uma das notas que chega ao seu ouvido. Apenas de ouvir as notas musicais já consegue escrever a partitura no mesmo instante sem precisar escutar ou testar as notas em um instrumento. E não vale apenas na música: também em sons vindos de buzina, chiados da natureza, vozes de animais, barulhos de máquinas….

A explicação para esse dom ainda não é bem definida. Alguns acham que é uma característica herdada geneticamente, outros, que é um talento desenvolvido com muita dedicação e treino. Há os que acreditam, ainda, que todos nós nascemos com essa habilidade, mas, se não a utilizamos, a perdemos.

 

OUVIDO ABSOLUTO APRENDENDO A TOCAR VIOLAO

Grandes gênios da música, como Beethoven e Mozart, possuíam ouvido absoluto que lhes permitiram compor peças e sinfonias inteiras sem a execução de uma única nota. Jimi Hendrix, que também possuía ouvido absoluto, utilizou essa habilidade para afinar seu primeiro violão, em casa, após dedilhar as cordas de um violão em uma loja, já que não tinha dinheiro para comprar um diapasão.

Porém, por mais incrível e útil que pareça, o ouvido absoluto não é um dom necessariamente relacionado com a música em si, pois as pessoas dotadas desse talento podem simplesmente “nomear” frequências sonoras, associando-as a notas musicais. A habilidade do ouvido absoluto está muito mais relacionada à memória musical do que ao conhecimento teórico de música. Uma pessoa portadora apenas de ouvido absoluto, sem a capacidade de fazer relações entre os sons escutados, não poderia perceber diretamente intervalos, acordes, escalas, sequências, transposições, etc. Portanto, ter ouvido absoluto não é um quesito necessário para o desenvolvimento do músico em si.

OUVIDO RELATIVO

O ouvido relativo exige a comparação entre uma determinada altura e uma nota de referência. Esse tipo de habilidade permite reproduzir e criar melodias e notas a partir de comparações estabelecidas, e está muito mais associada ao treino do que a um dom natural.

 

OUVIDO RELATIVO APRENDENDO A TOCAR VIOLÃO

Ao contrário de ouvido absoluto, o ouvido relativo é bastante comum entre os músicos, especialmente aqueles que estão habituados a “Tirar e tocar uma música de ouvido”. Nesse tipo de processo, o músico ouve a melodia e em seguida a reproduz, copiando compasso, ritmo, notas e sequências, em alguns casos inclusive improvisando e desenvolvendo versões com o uso de uma mesma escala, por ele reconhecida.

Para aguçar os ouvidos e desenvolver um bom ouvido relativo, é preciso bastante estudo e treinamento. O reconhecimento de intervalos pode permitir ao musico identificar tipos de acorde, escalas, afinar com precisão um instrumento, em relação a um sinal acústico de referência fornecido. Portanto, se você quer desenvolver seu ouvido relativo e chegar a um bom nível, é preciso começar a trabalhar sua percepção musical, estudar as escalas, escutar as notas e tentar entender quais são elas e tirar músicas de ouvido.

Todo bom músico tem o seu ouvido relativo bem treinado, independente de ter ou não um ouvido absoluto, pois o significado da música só pode ser percebido de verdade através do ouvido relativo, já que as estruturas musicais são definidas justamente pela relação particular entre notas específicas. Então, não deixe de treinar!

 

Veja também COMO MELHORAR A PERCEPÇÃO MUSICAL”.

Deixe seu comentário, dicas e sugestões. Compartilhe com os amigos, curta nossa página no Facebook!

danieldarezzo

4 Comments

  1. Muito interessante a explicação sobre ouvido absoluto e ouvido relativo. Obrigada. Daniel! Abraço

  2. Dicas ótimas, ajuda muito a fixar o conteúdo aplicado nas aulas explicado em detalhes fica bem mais fácil de compreender. Parabéns pelo método de ensino, estou gostando!

  3. Obrigado Solange – este foi um tema sugerido pela nossa equipe do Blog – Que legal que gostou! Se tiver dicas pode mandar também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *